30.1.10

' dessa vez eu já vesti minha armadura...

'incrível como hoje uma coisa hoje me impressiona,
talvez impressionar não seja a palavra certa... as vezes precisamos tanto de alguém, aquele alguém em que sabe todos nossos segredos, até mesmo os mais obscuros,
e derrepente existe um dia que tudo desaparece, vocÊ se vê triste abatido, e fala sei onde acharei consolo, abrigo, e quando você vai até lá, até um misero abraço lhe é negado...
o abraço que te dava abrigo, que te fazia mais segura feliz, mas não, não existia mais, os dias foram se passando,
semanas, meses, e sem ao menos eu perceber havia algo diferente,
havia uma barreira em volta do meu corção,
em volta dos meus sentimentos, as lágrimas estavam secas,
simplesmente não saíam, e nem havia nenhuma sensação de algo preso,
não havia nada, e mais tempo depois aquela pessoa via pra mim e diz " me sinto só, parece que não tem ninguém a minha volta",
e eu olhava para aquelas palavras soltas no ar, e disse não se sinta assim , eu to aqui,
é eu disse que estava, e aindaouvi um "sabia que te amo ?",
sim eu ouvi, eu disse eu tb...
e era verdade, mas mesmo amando, não era mais aquele que me deixava segura,
eu até tentava, mas a barreira não deixava, não deixa,
não consigo mais derramar meus sentimentos, dizendo "divida comigo", não não dava mais...
e vi novamente a cena se repetindo.. mais alguém me maguando, e a barreira se formando, dando a mim a capacidade de não chorar mais, de não me sentir mais triste.
de verdade não queria ter isso, por que as pessoas precisam de uma segunda chanse (?)
mas não meu coração não deixava... as lágrimas chegavam a beira da pálpebra querendo pular,
mas simplesmente voltava, a barreira puxava,
e eu simplesmente não conhecia mais aquele que eu sabia o que estava pensando só de olhar,
e quando havia muita "gente nova", acabei trazendo uma pequena "ilusão,
para me sentir segura, mas não... não existe mais, pois a barreira se recusa a sair,
e continua a esconder aqueles, aqueles segredos que precisam as vezes serem ditos...
mas também sei que essa barreira me "proteje",
mesmo eu não querendo... mas hoje sigo em frente,
não negarei o que me foi pedido, mas por mais triste que me faça ficar infelizmente não consigo mais a capacidade de abrir meu coraão novamente,
não digo que um dia não terei, mas hoje agora, não não posso...
mas estou aqui pronta para novas experiências...
acho que isso aprendi com um sábio amigo:

"ninguém nunca te machuca duas vezes, a não ser que você queira"

29.1.10


' e ela simplesmente deixava tudo se esvair,
tudo mudar,
deixava que sua mente desligasse...
deixava tudo ir junto com o vento,
a sensação do vento na pele era como se estivesse
levando tudo o que havia dentro dela,
como se arrancasse tudo ,
todo peso, toda dúvida, to angústia.
o vento balançava seus cabelos negros,
como se tentasse mechesse levemente trazendo uma sensação diferente
e única...
e não havia pensamentos,
a mente estava vazia,
completamente vazia,
aquela "coisa" que ela sentia não estava mais ali,
pelo menos por alguns pequenos momentos se sentia leve...
o som do vento nas folhas era como uma voz baixinha,
doce, suave...
parecia que o vento dizia tudo o que precisava ouvir,
ela não pensava, não fazia mas nada,
apenas de olhos fechados sentia o vento,
o vento que a deixava...
mais... mais ... feliz...

24.1.10

É, não tem sentido


' sentia algo sem explicação...
uma sensação de estar desligada,
sem vontade pra nada nem ao menos escrever,
e mesmo com tudo isso,
quandovi já estava eu escrevendo,
escrevendo coisas sem sintido outra vez,
escrevendo por escrever,
escrevendo pra esvaziar...
acho incrível o que o fato de escrever me faz sentir diferente...
após algumas palavras ditas sinto como se não conseguisse mais parar..
como se houvesse um recipiente cheio dágua eum furo fizesse toda água sair...
todas as minhas emoções escritas em uma folha de cadernoqualquer...
ou até mesmo aqui...
bem estou meio sem saber ao certo o que fazer,
tenho até algumas coisas, que deveriam me fazer sentir melhor...
mas não ...
sinto vontades de algumas coisas que nãotenho ...
bem, na verdade é isso;
ah ... e hoje tive uma vontade que vou conquistar...
quero um skate (y'
uhauha'
fui.

22.1.10

'enquanto as gotas caíam...


A as gotas caiam batendo nas folhas e flores;
O barulho da água caindo me invadia...
O tom do verde mudavaem uma infinidade de verdes diferentes..
Os trovões completavam o som uma vez ou outra quando aparecia.
A água na terra fazia pequenos riahos levando água para algum lugar desconhecido,
a brisa vinha e encontrava a minha pele,
dando uma sensação deliciosa na qual não saberia explicar por palavras
As folhas das árvores se ricocheteavam,
batendo umas nas outras
As gotas da chuva vinham escorregando de uma folha a outra
até caírem no chão...
Enquanto tudo isso acontecia eu continuava a rocurar o que o barulho dachuva queria dizer...
o queria me trazer...
Até que me perdi nas lembranças ...
me perdi em sorrisos, lágrigas e palavras tidas em silêncio...
me lembrava dos olhos preocupados, e o medo que eles transmitiam...
mas no fundo haviauma certeza,e aquela certeza me fazia sorrir...
me lembrava das pequenas palavras que eram ditas por olhares e pequenos abraços...
Ah... o abraço que me fazia sentir segura, me fazia feliz...
Sentia falta até mesmo das lágrimas que foram derramadas juntas, por coisas que no momento eram tão importantes, e pareciam tão trágicas rsrs'
E agora pequenas coisas de meninas indo pra adolescencia...
me lembrava também daquela única briga que terminou em abraçode consolo... dizendo que tudo daria certo e que estariamos juntas...
novamente o barulho das gotas voltavam ao foco
e percebi o que as gotas diziam
e o que me traziam...
me traziam inúmeras lembranças de algo que nunca sairáde dentro de mim ...

20.1.10

'hoje sem saber muito o que escrever na verdade.
hoje poderia explicar o que sinto pra variar,
ou falar das minhas revoltas, angustias, alegrias, sonhos...
mas não.
hoje apenas dizer palavras sem sentido como sempre,
porém diferentes...
meio que parei um pouco de tentar ver o futuro,
ou observar o passado.
em um certo lugar eu li uma pergunta que me fez refletir,
e a pergunta era: "O ser humano deve viver onde? No presente, no passado ou no futuro?"
claro que a resposta mais óbvia seria no presente,
e sim é a resposta...
mas será que temos vivido o presente?
pra ser sincera, já vivi muito mais no passado pensando,
ou no futuro imaginando...
mas e o prescnte?
bem o presente.. vou viver ... estou vivendo ...
e é ai é que está
devemos viver agora...
e isso que vou fazer...

17.1.10

'e quando li aquelas frases, aqueles sentimentos
só ditos ali, não sabia o que pensar,
simplesmente não pensei.
sentia como se tudo estivesse descendo como pelo ralo...
eu tentava em cada frase de volta achar uma forma de trazer de volta mas simplesmente não sabia.
antes de ler aquelas palavras, antes de imaginar que elas seriam ditas,
mesmo sabendo exatamente o que teria acontecido,
não sei se sabia por observá-lo com uma grande cautela,
ou por simplesmente saber que teria a mesma ração...
tinha lido aquelas pequena ensagem dizendo coisas boas e que clareavam a minha mente me dizendo o que fazer, e me lembrando de cenas boas eque eram diferentes de qualquer coisa que havia acontecido antes comigo,
as frases ditas sempre com algo à mais,
com algo subentendido,
e minha mente captava sem que eu precisasse me esforçar pra isso...
hoje quando olho po abismo,
penso inumeras coisas...
mas agora sabendo que nem sempre terá alguém
pra voar junto com a gente,
e se a gente simplesmente não saber voar e cair na água,
talvez não haja ninguém pra me tirar das águas...
minha mente para,
e procuro não pensar na água, nem na gravidade que me puxaria pra baixo...
e começo a pensar que as vezes precisamos esperar ,
vou parar de pensar... vou deixar as coisas irem pros seus lugares,
mesmo eu querendo escolher onde cada uma fique,
não vou obrigá-las a nada...

"Por isso eu tô na luta,
tô sobrevivendo
São nessas horas que eu me lembro
Que às vezes eu machuco
Às vezes me machuco
Explodindo por fora
Explodindo por dentro ..."

15.1.10


'e em minha mente as enas se misturam,
que não onsigo nem mais pensar,
e em meu coração uma pequena confusão se forma,
as dúvidas surgem e o passado volta a tona,
pessoas dizendo coisas que agora não precisavam mais ser ditas,
mas mesmo sendo pronunciadas inevitavelmente meu senti algo diferente,
algo que não queria mais sentir,
algo que a razão se recusava a aceitar,
minha mente parava e as respostas simplesmente não saiam...
só as palavras e sentimentos só se embaralhavam,
só me encomodavam...
sinto que não quero mais sentir,
sinto vontade de me desligar por algum tempo,
sinto vontade de gritar,
e dizer que não quero que haja escolhas muito menos opções....
quando queremos as coisas nunca acontecem...
quando estamos aceitando o que está acontecendo,
e gostando do que foi aceito,
sempre aparece algo...
algo pra te colocar novamente a beira de um abismo,
não quero ter que dar respostas,
não quero ter que dar opniões sobre isso...
não quero explicar...
não agora,
mesmo sendo inevitável de ter que ter uma explicação em algum momento ....
mas não vou pensar...
vou desligar,
vou parar por alguns instantes....
só queria entender o porque de isso acontecer?
o porque de minha mente ter que passar por isso em todos os momento que me sinto... feliz....que me sinto eu mesma...
e derrepente minha própria mente me pergunta: "vc etem certeza que é vc?"
bem vou apenas esperar...
vou apenas desligar... e deixar tudo acontecer...
não dizem que o tempo coloca tudo no lugar?
bem vamos ver se ele consegue agora que estou na beira desse abismo...
mas agora eu respondo a quem queira me derrubar desse grande abismo : "pow, tenta... talvez eu gosta de voar...;)"

8.1.10

'o que sinto hoje...


hoje foi mαis um diα comum em minhα vidα revendo α fαmíliα e αmigos,
me fαzendo feliz...
mαs enquαnto isso vαrios sentimentos embαrαlhαdos em meu corαção...
sinto αnsiedαde por certαs notíciαs, sinto sαudαde de certαs pessoαs, sinto vontαde de αlgo novo,
sinto corαgem prα mudar um pouco, sinto vontαde de sorrir αo lembrαr de cenαs felizes e umα pequenα vontαde de chorαr αo lembrαr dαs tristes,
sinto dúvidα nαs minhαs escolhαs, e ousαdia de αpostαr em αlgumαs delαs,
mαs principαlmente hoje, sinto que mudei, sinto que cresci, e sinto que muiitα coisα αinda esta por vir... (yn'

4.1.10


'e logo nos primeiros novos dias
percebi que as vezes não devemos planejar ou esperar algo,
as vezes é preciso deixar acontecer...
percebi que as vezes se as coisas acontecessem exatamente como esperamos,
não haveria a menor graça...
percebi que as vezes também atitudes devem ser tomadas,
e que temos que esperar...
e que quando ficamos muito anciosos por algo,
o tempo passa a passar muito mais devagar que o normal...
percebi que prestar atenção nas coisas simples vale a pena...
esse ano já percebi muitas coisas...
e estou gostando disso...
e espero ue muito mais coisas aconteçam...
e principalmente coisas boas...
(yn'

1.1.10

'o melhor dos melhores *-)...


'mais um ano se inicia,
e nesse ano espero muitas coisas,
espero ser mais feliz,
espero mais realizações,
espero errar menos,
e em outras ocasiões não ter medo de errar...
arriscar mais,
espero mais de mim,
mas de tudo...
espero merecer mais,
espero buscar mais...
mais oportunidades, mais alegrias,
mais amadurecimento...
espero crescer,
espero... apenas espero...
mas também sei que não adianta só esperar...
Eu também vou precisar fazer...
e isso que quero...
quero que esse ano seja um ano de uma nova vida,
de um novo caminho.
E tenho a impressão de que esse ano vai ser o melhor dos melhores...