10.3.10




E ela gritava tentando dizer o que sentia, enquanto as lágrimas desciam do seu rosto,
Dor, raiva, vontade de gritar, de correr, de dizer tudo o que estava em sua garganta a tempos.
E ela gritava, dizia, chorava.
Tentando mostrar inutilmente que não tinha feito nada fora do comum,
palavras jogadas como dardos em seu coração, ela dava gargalhadas debochadas enquanto ouvia coisas que faziam uma raiva incomum nascer dentro de si.
Ela para respira fecha os olhos, enquanto mesmo de olhos fechados as lágrimas insistiam em descer.
Ela simplemente não acreditava no que houvia.
Se sentia cansada de dizer aquelas palavras, se sentia exausta. Ela para subitamente de alar qualquer palavra.
Ela desistiu. Ela cansou. Vozes gritando dentro de si para lutar, para continuar a dizer o que sentia, mas ela simplesmente desistiu.
Desistiu de fazer coisas pra agradar, de tentar se explicar...
Ela agora só ficaria ali, fazendo o que seu coração queria e achava ser certo.
Quando sabemos que al é verdade não precisamos provar a verdade.
A pessoa que diz que é mentira que tem que provar que é mentira, e sendo verdade nada acontecerá.
E assim ela se sentia, lá sentada no escuro, com seus gritos interiores e suas lágrimas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário