23.6.10

Inquietude

A inquietude lhe invadia.
Uma vontade de algo que não se sabia ao certo.
Silêncio.
O silêncio era indiferente. Insuportável. O silêncio interior.
Até as questões que poderiam ser feitas lhe fugiam. Como se algo inportante tivesse sido deixado.
Uma sensação de saudade, de algo que não sabia dizer. Ela procurava dentro de si o que estava acontecendo, o porque do silêncio lhe chamar atenção, lhe encomodar...
Talvez fosse a distância que não a deixasse ouvir com nitidez...
Mas por algum motivo que não sabia qual. Ela sabia que devia esperar...
Esperar o tempo diminuir a distância...
E ela mesmo com a inquietud, esperava observando o horizonte ... como se o que precisava fosse aparecer a qualquer momento. A qualquer segundo. Fazendocom que ela sorrisse novamente.

Um comentário:

  1. Incrível.
    Era exatamente isso que eu estava(estou) sentindo, mas não conseguia colocar pra fora de jeito nenhum. E aqui está, tão belo e simples.

    Muito lindo! Amei!!
    beijos

    ResponderExcluir