26.8.10


" A ausência de censuras o surpreendeu. Ficou parado, completamente sem jeito, com a redoma nas mãos. Não conseguia compreender aquela delicadeza.
Revolveu cuidadozamente sus vulcões.
- É claro que eu te amo -- disse-lhe a flor. -- Foi minha culpa não perceberes isso. Mas não têm importância. Foste tão tolo quanto eu. tenta ser feliz... Larga essa redoma não preciso mais dela."

O Pequeno príncipe

2 comentários: