18.9.10

Há uns dias atrás,

estive pensando sobre tudo o que já aconteceu; e pensei principalmente nessa ligação estranha que temos. Não preciso conversar com você pra você saber como estou, ou até mesmo pra eu saber como você está. Lembro-me muito bem daqueles dias das palavras subentendidas, mas antes por querer, porém agora, involuntariamente, como se eu estivesse mandando um recado secreto. Você sabe exatamente o que quero dizer com meus textos, com as minhas palavras vazias.
E mesmo que você pense que não, eu também consigo ver algumas coisas e saber exatamente quando fala sobre mim, mesmo que você não acredite e também sei que você também sabe. Nestes mesmos dias em que pensei isso, também pensei nas nossas conversas, nas nossas danças estranhas, nos nossos olhares que gritavam dizendo o que havia, nas nossas palavras não ditas, nas nossas ações não feitas, nos nossos pensamentos não revelados, nas nossas vontades que não ocorreram, nas nossas desistencias e persistencias, na segurança, e na alegria que nos deixava. Eu nunca imaginei que uma pessoa que passou tão rápido poderia me marcar tanto, e me conhecer tanto. Não sei o porque, só sei que eu sinto que você estará por perto quando eu precisar. Não é por "me achar" ou algo do gênero, eu simplesmente sinto sem querer, ou por querer não sei. Mesmo que você não pense o mesmo sobre tudo o que escrevi, e mesmo que ninguém lhe dissesse que este era pra você, você saberia... você sempre sabe.

Um comentário:

  1. que raridade você encontar uma pessoa que te conheço com tão perfeição! que booom que a encontrou,
    gostei do seu texto!

    ResponderExcluir