28.8.11

Escrever sobre você, escrever pra você...


Escrever sobre nós ainda tem sido um obstáculo, na verdade escrever sobre qualquer coisa. Mas hoje eu precisava falar sobre você, po um motivo que ainda não sei ao certo.
Você vem me trazendo uma esperança que já não sentia mais. Hesito em sentir tudo isso que me invade, até que não consigo mais evitar. A segurança que você me passa chega a me assustar, porque depois de tanto tempo o medo parece pequeno diante de nós. É estranho você sentir algo que não aperta o coração de uma forma ruim, que não te causa mal, pelo contrário, te trás uma felicidade que a tempos não te alcançava.
Você chegou quando praticamente tudo dentro de mim tinha se transformado em gelo, e com o seu calor derrete aos poucos o que estava frio. Agora, não e preocupo com o que vai acontecer, procuro viver o agora. E se amanhã a gente se machucar o tempo vai sarar, o que importa agora é sermos felizes... do futuro cuidaremos depois.

24.8.11

"Amanhã não se sabe..."


Não se comprometa dessa forma... ainda temos tanta coisa pra viver, tantas pessoas a conhecer.
Amanhã podemos encontrar alguém numa esquina qualquer que pode mudar absolutamente tudo. Vamos viver o agora, sentir o agora... as promessas pro amanhã deixe no silêncio, pois nunca sabemos o que pode mudar.

21.8.11

Á prova de amor.


(...)

Alô cara bacaninha que não usa meia esporte com calça social, não fala "trampo" e paga a conta inteira, com pinta de rapaz direito e cara de quem não matou ninguém, escuta aqui. Já fiz teu retrato falado. Para de rondar minha casa. Não invade meu espaço. Eu chamo a polícia, viu? Seu delegado, tem um bacana aqui ameaçando minha rotina. Nem minha mãe me dá atenção e carinho, quem é tu pra me oferecer esses engodos aí? Pó-pa-rá. Sem esses xién-xién-xién, que enquanto eu tiver dedo e leite moça ninguém me tira do sério, entendeu? Me ouviu? Hein? Me responde. Taí ainda? Fala alguma coisa, pomba vida. Começou mal, odeio quando não me respondem. Ãi guri, que raiva! Cadê o plug dessa escada de incêndio? Me tira do vácuo. Tá escuro aqui, moço...

Ele acreditou.

Tantas madrugadas assistindo os mais repetidos filmes fizeram de você uma perita no assunto. Então o Oscar vai pra você. A atuação mais convincente como coadjuvante em "À Prova de Amor". E olha que nem da crase você abre mão.

15.8.11

Fico pensando em nós.


A gente disse que seria pra sempre, fizemos promessas e projetamos nosso futuro.
Sonhamos em morarmos juntos, passar no vestibular, festas, brincadeiras, amidades. As vezes me pego lembrando das nossas tardes de pôr do sol e ventania, sentados na praça, jogando buraco e papeando atoa sobre o futuro. E de pensar que há um ano atrás estavamos juntos, os quatro, sonhando com o quanto está próximo, o tão esperado ano de maior idade e vestibular. Fico triste em pensar que estamos todos tão distantes um do outro, não só pela distância física, mas principalmente pela interior. O que mais me dói é que não estamos fazendo nada pra mudar tudo isso, estamos acomodados e parece que ninguém se importa. O pior é que estamos nos acustumando, está tudo se esvaindo e parece que vai acontecer tudo de novo como aconteceu com outros amigos. Será que nossa amizade vai sobreviver? <3
:(

4.8.11

"avisa que é de se entregar no viver"


Não sabemos o que será de nós, o que será dos nossos olhares e meio sorrisos.
Não podemos saber se esse caminho que é aparentemente tão bonito, com cheiro de coisas boas e desconhecidas irão dar em algum lugar imaginável. Não diga mais nada em voz alta, deixe tudo como está... se quiser contar algo, conte como um segredo, com sussurros. Vamos esperar o amanhã morena, vamos entregar nossos caminhos ao vento, ao tempo, ao acaso. Os nossos sonhos planejados não deram certo pequena, então deposite aqui os lugares previstos e previsíveis, carregue apenas seu sorriso, o coração e a nossa canção. Deixe tudo nos braços do amanhã.


Leia e escute ->Pois é - Los Hermanos.

1.8.11


Podia ser só amizade, paixão, carinho,
admiração, respeito, ternura, tesão.
Com tantos sentimentos arrumados
cuidadosamente na prateleira de cima,
tinha de ser justo amor, meu Deus?
Porque quando fecho os olhos, é você quem eu vejo;
aos lados, em cima, embaixo, por fora e por dentro de mim.
Dilacerando felicidades de mentira,
desconstruindo tudo o que planejei,
Abrindo todas as janelas para um mundo deserto.
É você quem sorri, morde o lábio, fala grosso, conta histórias,
me tira do sério, faz ares de palhaço, pinta segredos,
ilumina o corredor por onde passo todos os dias.
É agora que quero dividir maçãs, achar o fim do arco-íris,
pisar sobre estrelas e acordar serena.
É para já que preciso contar as descobertas, alisar seu peito,
preparar uma massa, sentir seus cílios.
“Claro, o dia de amanhã cuidará do dia de amanhã
e tudo chegará no tempo exato. Mas e o dia de hoje?”
Não quero saber de medo, paciência, tempo que vai chegar.
Não negue, apareça. Seja forte.
Caio F. Abreu