30.9.11

Deixa amanhecer...


Vamos, deixa amanhecer, deixa o vento levar as nuvens pra distante de você. Feche um pouco esses seus olhos curiosos, e pare de procurar coisas que não se veêm e sim se sentem. Escute o som do vento nas folhas, sinta o cheiro da brisa que acariciam as ondas dos seus cabelos... Respire fundo e deixe tudo o que tem te feito mal ir embora. Sinta o peso se esvaindo e os sentimentos bons te invadindo.
Perceba a delicadeza dos sentimentos que te invadem, abra os braços e sinta o abraço do novo, sinta o gosto de felicidade... pare de procurar a cura e deixe que a cura te encontre. Ela virá quando você estiver destraído, quando tudo parecer acontecer por acontecer. E então depois de tanta espera, você vai entender a demora, vai entender o porque de tudo o que lhe aconteceu, e vai sentir aquele frio na barriga que sentimos quando estamos prestes a sentir algo novo e bom.

22.9.11

Somos sorriso em tarde de ventania.


Somos muito mais do que pensam. Somos muito mais que um grupo de amigos em frente ao mar. Somos sonhos palpáveis, somos saudades densas e o amor mais forte que conheci. Somos a esperança de que tudo vai dar certo. Somos os laços que nos prendem em meio a toda essa distância. Somos as lágrimas que caem durante a espera do futuro bom. Somos as notas que soam de um violão. Somos os raios de um fim de tarde. Somos o apoio em tempos de tribulações. Somos os sorrisos bobos, e os olhos brilhando durante um plano de um mundo novo. Somos as mão que se dão. Somos os abraços que nos aquietam. Somos a chuva que insiste em cair. Somos os medos que nos aflige e a coragem que o enfrenta. Somos a força que nos sustenta. Somos a nostalgia do ontem e a ansiedade do amanhã. Somos nós, somos mais. Somos um livro antigo em um sebo qualquer. Somos os rabiscos num caderno antigo. Somos jovens, que descobrimos o amor antes desconhecido e que não nos cansamos de nos descobrir, de nos superar, de nos encontrar. Somos amigos em um retrato na estante, esperando nos reencontrar, esperando podermos voltar a nos amar.

18.9.11

Afinal, a gente escolheu assim.


Pra ser sincera, nem somos aquele casal exemplar que todos esperam. Na verdade, penso que ainda nem somos um casal, pelo menos não oficialmente. Acredito que o que tem feito a gente se olhar infinitamente sem nem ter coragem de perguntar o que foi só pra não estragar o esse instante, é essa tal coisa que nunca vivemos antes, essa história de deixar acontecer o máximo que pudermos sabendo exatamente o momento exato de tudo acabar. O pior é isso, sabemos exatamente o dia e o horário que vamos nos despedir, sem ter certeza ao certo de se quando você voltar os dois ainda estarão dispostos a continuar esse jogo depois do intervalo pro segundo tempo. Ficar no zero a zero, não tem deixado nenhum dos dois satisfeitos, fazendo os dois cruzarem os dedos pra haver ao menos um empate.
Não insistimos em nada, fazemos apenas o que queremos fazer, no momento em que queremos fazer, aproveitando todas as oportunidades possíveis de sermos as pessoas mais felizes do mundo, finalmente podendo ficar tranquilo, sem aquela sensação de "será que ele também está no mesmo barco que eu?".
Pois sim. Estamos no mesmo barco, na mesma estação, no mesmo caminho e temos a plena convicção de que vamos pegar uma condução diferente logo na próxima parada. A parada onde vai mudar completamente o rumo de nossas vidas que estão prestes a começar de verdade. Afinal, foi isso que queríamos, um futuro próspero com milhares e milhares de coisas novas pra experimentarmos.
Então fico aqui, vivendo ao máximo o instante em que está aqui e o que não estará, sabendo que fará o mesmo, e esperando o tempo resolver se nos encontraremos na estação seguinte a que você voltar, e se pegaremos o mesmo trem. Mas como já sabemos, o futuro não pertence a nós, então vamos viver o presente que nos foi dado e pensar que esse não vai ser um adeus, e sim, um até logo.

7.9.11

Vem pequena, que eu te entendo.



Tá, eu sei que você rejeitou ele antes, disse que ele era estranho demais ou coisas do tipo. Mas eu sei como é, ele olhou de um jeito diferente e você dsse que ninguém tinha olhado pra você desse jeito a tempos. A melhor amiga te humilhou um pouco por você se contradizer de novo, Mas eu compreendo, o mercado não está lá essas coisas, um namorado não é fácil assim de encontrar, escolhendo do jeito que você exige então. Uma excessão nem faz mal a ninguém, vai que é ele que vai te fazer feliz, pelo menos por um tempo.
Você já fez aquele discurso de que homens são todos iguais, e sua mãe concordou dando o maior apoio. Uns paqueras apareceram antes mas não eram lá essas coisas, não que esse seja o cara perfeito, mas pelo menos você não vai jogá-lo ao relento o primeiro obstáculo que aparecer.
Tudo bem que ele te ignora um pouco enquanto joga uns jogos de internet e aparenta uma criança de doze anos. Mas não estou te julgando, que carinha hoje em dia não faz isso. Ele tem aquele jeito meio sério, mas só você sabe as coisas lindas que ele sussurra e faz você parecer uma criança de doze anos apaixonada. Sei que você já confessou a si mesma o quanto o abraço dele te faz bem, e a voz dele já te acalma. Você não assume, mas fica pensando nele mais tempo do que devia e pqercebe que fazia tempos em que você tinha alguém pra conversar coisas sérias, morrer de rir enquanto um faz cócegas no outro, ou fica de mimimi e nhênnhênhêns. Então vamos adimitir, bem que você está gostando dessa experiência que a tempos não acontecia. Não precisa negar agora, porque os comentários vão surgir você adimitindo ou não. Então porque não ser feliz um pouco, se você faz alguém feliz? É morena, vamos esperar pra ver o que vai dar, e pense positivo, pare com essa mania de achar que tudo vai dar errado a qualquer instante. Se dê a chanse de viver o caos de estar apaixonada. Viva o caos de se apaixonar pequena.

6.9.11

De um amigo...


"Consigo imaginar perfeitamente minha vida do jeito que sempre quis. Mas, a verdade é que espero achar “algo” que me faça mudar completamente toda essa “perfeição” planejada. "

Cassi Tamandaré

<3

3.9.11

Não tenho medo do escuro, mas deixe as luzes acesas... agora...




Me prometa que vai ficar aqui comigo, pelo menos até a tempestade lá fora parar....


"Então me abraça forte, e me diz mais uma vez que já estamos distantes de tudo... "
Renato Russo

2.9.11

Que de dane.


Depois me perguntam porque eu sempre desisto... É porque eu não tenho condições físicas e nem psicológicas pra aguentar todas essa avalanche que vem em minha direção.
Quando tudo parece bem, as coisas logo viram de cabeça pra baixo. Me desculpe, mas eu não tenho pena de ninguém nessa situação, só tenho consideração a mim mesma, e na verdade sou a única que tem. Não é possível só eu enxergar tudo isso que acontece, é algo inacreditável... as pessoas simplesmente surtam e acham que sou um monstro, que sou a pior pessoa do mundo.
Eu já me importei muito com essa situação, e não vou mais, eu não quero isso pra minha vida. O meu orgulho já foi atingido o suficiente, o meu amor próprio nem se fala. Eu tenho o direito de viver a minha vida, de ter os meus amigos, tenho o direito de ao menos chorar na minha própria casa. Eu não vou entrar nessa depressão de novo. Por favor, todos vocês que enchem o meu saco, vão tomar conta da vida de vocês, porque da minha já tem gente o suficiente. Eu preciso do meu espaço, pelo menos um pouco. Eu vou tomar conta das minhas coisas e fazer o que eu quero e o que eu gosto, já cansei de fazer o melhor pros outros, vou fazer o que é conveniente a mim, porque se ninguém faz isso, eu terei que fazer. Não vejo a hora disso acabar.
DANEM-SE TODOS VOCÊS.

"Cuspiu no prato que raspou
Duvidou que um dia fosse mudar de idéia
Não preparou, se mandou, evaporou
Espatifou o prato na parede
E eu catando os cacos pra tentar colar depois
Mas depois não vou que não tem
Não vou que não tem, nem vai que não tô..."

Jay Vaquer - Assim, de repente