21.4.12

Seguir em frente, como sempre, é o lema.



As vezes me sinto a pessoa mais feliz do mundo, outras a mais idiota.
Fico pensando nas inúmeras coisas que queria viver e não vivo, nas pessoas que quero ver e não vejo, nos sonhos que tive e que não os realizei. Fico pensando do que vai ser do futuro, do que vai ser de tudo isso aqui. Ando pelas ruas e vejo pessoas que nunca vi, parecendo serem as mais realizadas e felizes, e eu aqui, sem saber nem o que realmente quero da vida. Escrevo textos apago todos os dias, pensando que vai parecer só mais uma besteira, um texto clichê sobre esperas e romantismos exagerados imaginários. Tudo mudou e como sempre continuará mudando. Tento aceitar isso de forma racional, mas ser racional nunca foi o eu forte, na maioria das vezes fui sonhadora, como uma garota que não larga um livro de romance, cheia de esperanças de que no final haveria o "felizes para sempre". As coisas não são assim e nunca foram, o máximo que eu chegava era no final, mas nunca na parte do ser feliz pra sempre. A minha inspiração de alguns meses atrás já não reaparece tanto quanto antes, e todos os momentos da minha vida que eu queria relatar hoje já não fazem tanta importância. Eu queria pelo menos uma vez entender o porque de tudo isso, o porque de tudo ser tão complicado. Tento sempre salvar o máximo de coisas importantes que ficam dentro de mim, embora nem tudo seja possível. E fico aqui, escrevendo quando consigo colocar um pouco de tudo o que sinto pra fora, e sentindo o máximo de amor possível, tendo sempre força, fé, e equilíbrio, tentando sempre lembrar da menina com o livro que ainda acredita em finais felizes.

4 comentários:

  1. E esse texto me descreveu completamente...
    Adorei! =)

    cadasegundovale.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Minha lor, acompanho teu blog e mesmo indiretamente divido as delicias e as dores de amar, do amor e de ser uma menina sonhadora que ainda acredita em finais felizes.
    Não sei se você já ouviu, mas eu já..que sou uma boba sonhadora, e que preciso deixar de lado meus livros de romances e viver a realidade. Vivo um amor que às vezes me dói. Me dói pela distância, pela saudade e por mudanças que vieram tão de repente. A mudança dele para outro estado, a rotina, tudo....bem, se quiser dividir e conversar estou aqui.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns... Vc conseguiu descrever um pedaço de mim com amor e simplicidade...Vc é linda coração e alma...Obrigada por detalhar o q as vezes é tão de dificil de explicar...
    Bjos
    Nani.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, eu estou no mesmo barco.

    ResponderExcluir