17.8.13

Babacas ambulantes

Tudo mentira. Nada é o que realmente se diz. Tudo ficção, coisa que se desfaz. Esqueça, vai haver uma hora em que você vai precisar acordar e tudo vai desabar em cima da sua cabeça. Chuva de cinzas.... lágrimas amargas, com gosto de decepção. Uma decepção atrasada de algo que você já esperava do fim. Um fim que se repete todos os dias com outros e que o começo também foi o mesmo com uma idéia ilusória de que tudo seria perfeito. Doce ilusão. Doce ironia da vida idiota que acha graça das videos cacetadas que nós protagonizamos pra ela. Babaquice
Que insistimos de seguir centenas de vezes. Uns por opção, outros por preguiça e ainda outros por pura burrice. Coisa idiota, insistir em dormir com o travesseiro úmido ou então num ombro de um falso amigo. Esse  é nosso palco. Esse é nosso filme.

15.8.13

Eu sei pequena...

Ela vem com cara de que não teve um bom dia. Olha pra mim diz que não tá legal.
-Vim por obrigação por mim nem estava aqui.
Mente pra mim na mais pura cara de pau, mesmo sabendo que conheço quando mente. Não me abraça, não me enche de beijos, nem sorrisos de menina sapeca. Entra no meu quarto diz que não quer me ver, nem ficar perto. Não consegue nem ao menos olhar nos meus olhos. Te conheço morena, sei o que você sente, sei o que você têm.... joga a mochila no chão e o corpo na minha cama. Deito do seu lado e olho fixamente pro seu rosto e peço pra olhar nos meus olhos. Você relutante olha, e eles enchem de água no mesmo instante.... minha pequena chora e eu sei os motivos. Já conheço esse filme, e entendo ele. Abraço ela forte no mesmo instante tentando protege-la.... digo que ta tudo bem, que os dias vão voar e que logo estou de volta. Eu também não queria distância... vê-la chorando me dá nó na garganta, mas aquilo, homem não chora... ela sabe, me conhece.... espero acalmar e passo amor, o máximo que se pode em cada gesto meu. Quero que ela saiba que tô aqui, que vai dar certo. Ela  se acalma, me passa amor e eu sei que a irritação, o mal humor tudo é uma capa pra deixar o orgulho intacto. Enquanto a saudade fica solitária com vontade de chorar.