26.5.14

Não sinto nada.

Parei de escrever sobre mim mesma no ingênuo pensamento de que não seria mais necessário. Pensando eu que não precisava me esvaziar do que me atormentava, explodi. Saí de mim da forma prejudicial me levando a ver que ninguém consegue aguentar tudo sozinho.

Eu olhei pras coisas que aconteciam ao meu redor e percebi que em tudo, há esforço. Em tudo devemos mostrar o quão bom podemos ser, devemos mostrar a nós mesmos que somos capazes.

Eu queria por um instante poder dar o melhor de mim e me sentir satisfeita com o que eu estou fazendo. Eu me sinto uma inútil estatalada, em frente a um computador ou um papel em branco. Eu queria querer me esforçar. Será que é possível isso? Será que é possível dar o máximo de si usando apenas nos forças nulas?  Penso que não. E outras sim. E no fim não chego a nenhuma conclusão que mude o meu estado congelado. Não sinto nem a brisa. Nem o tempo. Sinto medo. E sinto nada.

24.5.14

Ah pretinho....

Pretinho me dá a sua mão... Diz pra mim que vai ficar tudo bem. Acalma minha respiração me da beijo na testa e abraço apertado... Seus olhos são pra mim calmaria... Sua barba serrada no meu rosto me trás paz. Me trás de volta a mim mesma. Me esvazia e me enche de amor novo. Me leva pra dentro do seu coração.

6.5.14

O que tem de ser

Chega um momento na vida que a gente fica confuso. Um monte de coisa que está perfeita simplesmente vira de cabeça pra baixo. Eu penso tanta coisa sabe... Fico sempre com aquela sensação de estar perdida. Hoje sinto um sentimento horrível de estar fazendo tudo errado. Eu só me enrolo e me enrolo. Tudo louco. Tudo de pernas pro ar. Nesse momento só Deus vai poder me ajudar e me orientar no que devo fazer. :( ...